Arquivo | maio, 2011

Mais que Verdade…

31 maio

Como você quer que eu Não fique estranho

Se Nada do que eu digo te faz acreditar

Como você quer que eu sorria

Se nem o Vinho me fez dormir bem essa noite

O Medo de estar errado quando se está perto

É quase maior do que a vontade de estar certo

A Saudade me persegue desde o momento

Que saio porta a fora de sua casa

E o seu jeito, sua voz, os seus beijos

Insistem em permanecer no meu pensamento

 

Como sempre as palavras que eu digo não são suficientes

Sempre que estou longe tento escrever pra te convencer

Minhas mãos sempre geladas longe do teu alcance

Imploram sua pele macia, meus olhos precisam do brilho dos seus

Tento me conter, pra não ultrapassar os limites da sinceridade

Mas tudo é mais que verdade…

 

 

 

 

Medo mudo, Meio Mundo

31 maio

Mais Uma noite de pensamentos confusos

A noite fria e seu perfume no meu pescoço

Ouvindo o que eu quero ouvir dentre meio termos

Saciando o desejo de um abraço seu,

O medo de ser sincero, o medo de ser tolo

Tão estranho quanto um consolo

Que se passa a quem parece sofrer por ti

O tempo quando  não se quer passa rápido demais

O sentimento parece aumentar a cada sorriso

Que se insiste em extrair, entre uma cara torta

E um beijo no rosto, um olhar atravessado

E um arrepio não esperado

Cada segundo parece único, por mais que não se acredite

Nem mesmo quando se insiste em mudar o assunto

Me sinto estranho dando uma de Poeta louco

Mas mesmo tão pouco, quase me sacia

A vodka me consola nos dias infelizes

Mas não me serve de Terapia

O certo é que cada segundo afastado de ti

É tempo demais que eu perdi

Sei que ao ler vai se lembrar de mim

Espero que sinta meu cheiro

como ao escrever o seu eu senti

O que é o Sucesso???

30 maio

 

Você tem Grana,

Alguém diferente toda noite em sua cama

e você acha que isso é bom

Você assiste toda noite a filmes de ação,

não dá chances ao coração

você não quer nem pensar

Mas trancado na sua solidão

Você é mais vulnerável

Que as pessoas que você

Machucou

Você chora toda noite,

Sem saber,

Talvez pelo passado

Algum fato que insiste em esconder

Disfarça sua tristeza, em

Um ato de arrogância

Você quer estar sempre certo

Acha que a Ordem e Progresso

Não e nada pra você

Mas os anos vão se passando companheiro

E com eles a juventude e o desejo

E quando se olha no espelho

Já se perdeu muito tempo

Então eu te pergunto…

 

O que é o Sucesso?

Nada de Errado…

30 maio

Psicologia Inversa… ela existe

29 maio

Nóóó….

29 maio

Ilustre Sentimento Desimportante

28 maio

Eu saio nesta noite imensa

Não tão grande como a falta que você me faz

Eu beijo uma garota, pego um copo com algum veneno

Fecho meus olhos e estou beijando você

Evito que o copo esvazie, evito que meus olhos se abram,

Pois assim sei que não vais embora;

Machuco um coração, conforto minha insanidade

Sinto seu cheiro no pescoço que beijo;

Tolice, o pescoço não é o seu o beijo não vem dos seus lábios,

Me pergunto se você onde estiver está pensando em mim

Se está fazendo a mesma coisa, buscando saciar a minha falta

Ou se simplesmente esqueceu todo o bem que te fiz

 

A noite termina, mais uma madrugada, desesperada, embriagada;

Esperando um telefonema seu, qualquer sinal de que esteve pensando em mim

O sol brilha forte e meus olhos não resistem, permanecem fechados

Mas onde está você agora, nem seu cheiro eu consigo sentir

Abraço um travesseiro mas ele não tem seu calor

Dou um soco na parede inutilmente

Eu volto para cama e me contenho na minha insignificante idiotice

As horas se passam enquanto espero por mais uma noite vazia….