Nada de Ruim, Nada de Ruinas…

10 jun

Cinzas de um vulcão assolam

Um campeonato

Não que o mundo seja ingrato

Mas ele precisa se aliviar

Como uma panela de pressão

Como um coração precisa desabafar

Todos precisam de abrigo

Todos precisam escapar

Pra que tudo não tenha fim;

Nada de ruim nada de ruínas

Cansei de esperar as respostas na esquina

Hoje vamos sorrir, aproveitar um dia qualquer

Vamos tentar não reclamar, mas aclamar o pôr do sol

Entender que não se pode ter tudo que se quer

Mas dá pra se contentar com aquilo que se conquista;

A melancolia de outrora deixamos pela pista

Onde percorremos já há muito tempo

Onde aprendemos que o mundo não é perfeito

Nunca foi nem nunca será

E pra quem acredita nisso

Sádicos dias vão passar

Cante uma canção

Composta numa noite de outono

Esqueça o sono e lembre-se

De quem te faz bem

Mas não esqueça também

De retribuir

Para que tudo possa fluir

Da melhor forma

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: