A menudo, cada minuto

10 jul

O Rangido da porta,

O silêncio dos sábios

Algo que eu detesto misturado

Com uma dose a mais de um

Veneno antissocial,

Um antigo ídolo na parede

 Atenção a quem tem muito pouco.

Uma estupidez a torto e direito

Não se olha mais defeito

Apenas segue-se em frente

Palavras sinceras e a voz que se quer ouvir

Uma falta que realmente domina meu ser

Me faz querer, mais e mais e mais

Nada de consoantes, nem exclamações

Uma espera, longa espera,

Uma canção que eu não conhecia

E uma letra embaralhada

Em um site qualquer

Uma cena que não se vê todo dia

Momento de agonia

Pra quem está na labuta

Pra quem sempre luta,

E não se cansa…

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: