Nostalgia…

16 ago

Ainda somos os mesmos

Empurrando a vida com a barriga

Ainda somos os mesmos

Olhando pela janela, quem bate na porta da frente

Olhos cansados, faces diferentes

Ainda somos os mesmos,

Aqueles das noites de vinho e violão

Dos acordes desafinados ou não

Caretas, bebedeiras, besteiras

Contadas na estrada de neblina

Ainda somos os mesmos

Mas sem a neblina, sem as besteiras

E as bebedeiras, coisas derradeiras

Os acordes já não são tão desafinados

Mas ficam cada vez mais difíceis

De serem tocados, de serem ouvidos

Pelos mesmos ouvidos que apreciaram

Os acordes desafinados

Onde outrora era o inferno

Hoje é o paraíso

A saudade é uma droga

E convivemos com isso

Ainda somos os mesmos

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: