Um Copo, Um Relógio, Uma Canção…

14 fev

Minhas noites tem sido Longas,
meus dias extressantes
espero que os ares que me sopram
Sejam bons  Ares,
o sono que me persegue,
me castiga e me consome,
ouço um blues,
e me imagino tomando um Uísque sem gelo
na mesa de um pub qualquer
viajo no tempo que nunca passa
quando se quer,
frases me vem a mente
como semente  que brota sem explicação
tudo bem se for assim
pois estamos bem, meu bem,
me perco dentro do Mundo que eu mesmo criei
me acho sem por que
quando nunca procuro a mim mesmo
meus verso certos, meus olhos abertos
em meio há um deserto
e a maldita ampulheta que libera
um grão de cada vez
A areia que parece  emperrar,
Parece ser a mesma  que veste meus olhos
claros  ou escuros, mas que insitem
em ficar abertos…

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: