Passos em vão, laços em vão, versos em vão…

19 maio

Era mais uma canção

que eu cantaria fora do tom

Mas os passos que eu dei

me levaram a escolher o outro lado,

perdi as chaves

tempos atrás

mas é passado

eu que perco quase tudo,

 vivo perdendo a memória

Pensei ser o mocinho dessa história

mas a história se repete

Em cada beco, em cada praça

não que euveja graça.

Piso em falso aguentando meu peso

com os pés descalços

Os cacos se quebram e ainda se infiltram

em minha pele.

Meu chapéu já não me protege,

Meus olhos vermelhos

Não refletem no espelho

Aquilo que eu não admito sentir.

Nada a se discutir

Versos em vão

Passos em vão

Nada ao certo

Nada tão perto

Quero um copo, um lento veneno

Que insisto em provar

Meus dias tão curtos quanto

À vida de um inseto

Minhas noites?

Frias, e inquietas.

O sol nasce e

Talvez um dia eu aprenda,

Minha maldita insensatez

Talvez não esteja aqui quando acordar…

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: