Arquivo | agosto, 2012

A Nova Velha Areia dos olhos…

23 ago

O que é ruim nunca vem só

Diz o ditado, dito maldito

Que insiste em se fazer verdade

Me trazendo só de maldade

A tal da infelicidade

Desespero que se cria,

E não se se enxerga alforria

Ou jeito  pra mudar o passado.

Um erro cometido…

Pessoas que não verei jamais

Ou que não verei nunca mais

Passos que não verei caminhar

E que ainda não sei se queria ver

Meu eu novamente se confunde

Com o que fui, ou com o que

Eu queria ser,

Meus versos calejados

Não demonstram metade da minha amargura

A vida novamente brinca com meus erros

Como ela sempre gostou de fazer

O jeito é olhar pra frente

Adiante sempre tem um novo ponto

Uma nova história

Novos erros a se cometer…

 

Novos Velhos Desassossegos…

19 ago

O tempo esse maldito e ingrato amigo

Que me maltrata e me ajuda

Não consigo lutar contra ele

O tipo de coisa que uma cabeçada no

Espelho do banheiro

Ou frases sem sentido

Não conseguem explicar

As lágrimas que volta e meia insistem

Em deixar meus olhos

Vem só pra me lembrar

Que o paraíso está longe

Que ele talvez não exista

E as pessoas que sofrem

Pelos meus atos ingratos

E insensatos, elas sim

Merecem o o paraíso

Ao contrário de mim