Gestos, incertos ou indiretos…

13 fev

Sou eu mesmo
O mesmo de sempre,
O mesmo de outrora
Talvez o mesmo de amanhã
Com o sorriso torto
E a barba mal feita
O mesmo que bebe um uísque barato
Pra aliviar a dor
A dor da vida, a dor da morte
A dor da falta de sorte
Sou o canto do galo
E as doze badaladas da meia noite
Meus erros? Obriguei-os a ficar pra trás
Precisava de um álibi
E há muito procuro
Procuro mas não me curo
Desisti da ideia
Perdi a hora, o jogo
E a sede…
Talvez os sentidos
Por alguns momentos

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: