Labirinto…

25 jun

Os Estilhaços de outrora
Voltam e me cortam a sola dos pés
Impedindo-me de correr
Impedindo-me de morrer
Sempre que me mato
Me maltrato
Meu rosto ressecado pelo frio
Já é tão vil quanto outros
tantos que eu já julguei
e hoje sou mais fraco
muito mais fraco
do que já me considerei.
Alguns acordes surrados
No meu velho violão
De tinta desbotada,
São minha única fuga
do mundo real
a voz fica rouca
os dedos doem
e cá estou eu novamente
no inferno que eu mesmo criei.
Do qual não aprendi a sair…

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: